Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Caducidade

Está serena a tarde:
desprendem-se-lhe frias
as palavras
que se acomodam 
nos lábios simpáticos 
do vento nordeste.

 

Lá para o alto, no castelo,
luzem ainda os raios preguiçosos
da lua nascente
mas breve virá o gélido nevoeiro
e destruirá a lucidez da noite incipiente.

 

E as palavras afinal dirão apenas 
aquilo que o ouvinte distraído
com o ecrã cintilante
do sedutor telemóvel
o deixar perceber: as palavras humilhadas
fugirão com o gélido nevoeiro
na ignorância imposta 
pelas novas seduções.

 

J M – 2.1.2017

 

*Foto de Carlos Adaixo!

A imagem pode conter: céu e ar livre