Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

A víbora

 

A VÍBORA

(DE DEMÓDOCO)

 

 

Um dia, uma víbora mordeu num pé

                   A pérfida Cloé.
 
Perguntarão: Que sucedeu
À pérfida Cloé?... Morreu?...
 
Isso morreu ela!...
Mal sentiu a mordedela.
Não teve febre, nem ardor, nem nada.
 
— A bicha é que morreu envenenada!
 
Augusto Gil, Rosas desta manhã

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.