Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

INTENÇÃO

Coimbra, 29 de Dezembro de 1971.

INTENÇÃO

Leio-te alguns poemas.

Timidamente, vou abrindo os versos

No silêncio da noite,

Como se confessasse

Culpas imperdoáveis

A um severo juiz

Que nenhum réu ilude.

Tento aquecê-los

E reconhecê-los

Na tua juventude...

 

Torga, Diário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.