Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

...

 

Coimbra, 25 de Novembro de 1987.

RESUMO

De nadas fiz o todo dos meus dias

E dei à vida a freima de a viver

Inutilmente, embora, quis honrá-la

Como se de um sagrado dote se tratasse.

Agora, posso ter a paz cansada

De quem lucidamente foi fiel

Ao seu destino:

Impuro, a oficiar nas aras da pureza.

Sonâmbulo, a tactear a natureza,

E agonizante já desde menino.

 

Torga, Diário XV

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.