Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Pinhais

Pinus pinaster.
(Wikipedia)

Gerês, 3 de Agosto de 1952.

ACORDE FLORESTAL

Ouço-vos por instinto,

Sussurrantes pinhais!

Não entendo as palavras, mas pressinto

Que são poemas que me recitais...

Poemas simples, de raiz agreste,

Ondulada e discreta melodia

Que ressuscita e veste

O cadáver de cada penedia.

 

Torga, Diário VI