Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

...

Campos do Mondego, 29 de Junho de 1941.

PASSEIO

Vou pelos campos fora, a ver

As velhas maravilhas que se sabem:

Milho verde a crescer

E ninhos onde os filhos já não cabem.

Vou como erva ou bicho, que respira

Mas já tem míldio ou peste no tutano;

Vou a ver a mentira

Desta pujança que não dura um ano.

Torga, Diário I