Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

...

As mãos escorriam lustrosas

pelas palavras arredias

tentando domar a realidade cruel

 

os refugiados entrechocavam

inábeis e férteis os silêncios breves

prolongamento irascível do tempo incapaz

 

e nos interstícios dos meses

o mediterrâneo sangrento

explodiu em mortes inúteis.

 

J M

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.