Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Marão

S. Martinho de Anta, 23 de Maio de 1944.

MARÃO

Serra, seio de pedra

Onde mamei a infância.

Amor de mãe, que medra

Quando medra a distância.

Dura severidade

Tapetada de acenos

Às ilusões da idade

E aos deslizes pequenos.

Velha raiz segura

À universal certeza

De um gesto de ternura

E um pouco de beleza.

Torga, Diário III

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.