Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

NATAL DOS HOMENS

 

 

 

Todos os anos, Jesus

Feito criança, menino,

Transforma a terra em flor.

E em poucos dias, no mundo,

Os homens vivem unidos,

Falando apenas de amor.

 

Mas, quando o Natal acaba

E os dias são como os outros

Nas cidades e na serra,

Durante o resto do ano

Os homens, já desavindos,

Apenas falam da guerra.

 

E assim decorrem os anos

Nesta atroz contradição:

 – Os homens, podendo amar-se,

Morrem de armas na mão!..

 

 

João Patrício


[Aproveito para desejar a todos os frequentadores deste recanto pessoal umas óptimas Festas de Natal e um 2013 cheio de poesia e saúde. Que nunca falte a vontade de mudar o mundo!]

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.