Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Bucólica

    Poema bastante belo porque simples; além do mais fala da Natureza que é sempre bela, mesmo quando não parece ou está furiosa com o que nós humanos lhe fazemos.  Também ficou harmónico quando o Chico Fininho o cantou - o canta.

S. Martinho de Anta, 30 de Abril de 1937.

BUCÓLICA

A vida é feita de nadas:

De grandes serras paradas

À espera de movimento;

De searas onduladas

Pelo vento;

De casas de moradia

Caídas e com sinais

De ninhos que outrora havia

Nos beirais;

De poeira;

De sombra de uma figueira;

De ver esta maravilha:

Meu Pai a erguer uma videira

Como uma mãe que faz a trança à filha.

Diário I