Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Entardecer

Coimbra, 28 de Abril de 1984.

VESPERAL

E, contudo, é bonito

O entardecer.

A luz poente cai do céu vazio

Sobre o tecto macio

Da ramagem

E fica derramada em cada folha.

Imóvel, a paisagem

Parece adormecida

Nos olhos de quem olha.

A brisa leva o tempo

Sem destino.

E o rumor citadino

Ondula nos ouvidos

Distraídos

Dos que vão pelas ruas caminhando

Devagar

E como que sonhando,

Sem sonhar...

Diário XIV

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.