Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Prémio Manuel António Pina - João Rasteiro

Labirinto

 

Agora o corpo fala de pássaros

anunciando a erosão rente à língua

o presságio que rasga o linho

o derrame da semente ao morrer.

 

Assusta-me o vidro dos olhos

esmagando-se no vértice da linha

a dormência ávida das águas

na rotação da última palavra.

 

Esta é a nudez intacta da luz

o ar na vibração do corpo

o cheiro agreste e puro da cânfora

o peso dos dedos sob o espanto.

 

 

Trata-se do vencedor do Prémio Manuel António Pina, instituído pela C. M. Guarda:

JOÃO RASTEIRO (Coimbra - Portugal, 1965). Licenciado em Estudos Portugueses e Lusófonos, pela Universidade de Coimbra. Poeta e ensaísta, traduziu para o português vários poemas de Harold Alvarado Tenorio, Miro Villar e Juan Carlos Garcia Hoyuelos.

[Para saber mais aqui.]

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.