Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

JOSÉ RÉGIO - 40 ANOS DA SUA MORTE

 

José Régio, pseudónimo de José Maria dos Reis Pereira, é um escritor português, natural de Vila do Conde, que morreu faz hoje precisamente 40 anos. Foi um dos fundadores da revista Presença e o seu principal animador. Romancista, dramaturgo, ensaísta e crítico, como poeta é que, todavia, primeiramente se impôs e mais larga audiência depois atingiu: não há hoje, talvez, poeta contemporâneo que usufrua de tanto prestígio junto do grande público, muito embora esse prestígio se deva, nalguns casos, a características menos positivas da sua poesia, — tais como um tom declamatório, uma imaginística demasiado acessível e uma excessiva preocupação de tudo miudamente explicar, que se confunde, não raro, com a sua real vocação de analista e de psicólogo.

Com o livro de estreia — Poemas de Deus e do Diabo (1925) — apresentou J. R. quase todo o elenco dos temas que viria a desenvolver nas obras posteriores: os conflitos entre Deus e o Homem, o espírito e a carne, o indivíduo e a sociedade; a consciência da frustração de todo o amor humano; o orgulhoso recurso à solidão; a problemática da sinceridade perante os outros e perante si mesmo.

 

David Mourão-Ferreira, Dicionário da Literatura

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.