Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

...

Estranho-te no cansaço de seres

a permanente presença silenciosa

deitada na laje nua do pensamento

onde impávida e calma permaneces

nas ondas límpidas da tarde outonal.

 

E se não estivesses? Se o teres

preferência de mim, já não fosse imperiosa

necessidade? Seria acaso um tormento?

 

Calma e impávida permaneces

alheia à vontade do meu corpo natural …

 

(Oxalá assim seja.) E o teu desejo

te traga na vontade estranha de um beijo

roubado ao pôr do sol imponente

que a tarde outonal desenha no poente.

 

JM