Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

Ar da Guarda

"Livre não sou, mas quero a liberdade. Trago-a dentro de mim como um destino." Miguel Torga

...

 

Uma chuva abundante cai lá fora

E tamborila insistente na janela

Lembrando que o Outono

desceu definitivamente à cidade.

As carícias suaves das brisas estivais

Foram suplantadas

pelas bruscas rajadas do sudoeste

húmido e prenunciador

do vizinho inverno agreste.

A cidade envolve-se num nevoeiro opaco

E embacia as janelas da alma

Embrulhando-a em racionalidades

Impeditivas de um olhar claro

Sobre a beleza da chuva benfazeja.

                                                (20.10.09)

 

                                          JM